domingo, novembro 19, 2006

Proezas de um filósofo alemão
E pensar que Arthur Schopenhauer foi obrigado a estudar comércio para, segundo desejo de seu pai, tornar-se comerciante e dar continuidade aos negócios que este estabelecera. No entanto, quando sr. Schopenhauer (pai) coloca fim à própria vida, livra o filho da obrigação e, incentivado por sua mãe, Johana Schopenhauer, empenha-se em uma carreira universitária, como pretendia.
Melancólico e pessimista, criticava arduamente a vida que sua mãe, já viúva, levava, bem como os amigos que frequentava sua casa nos saraus ali apresentados. Tanto fez que Johana, cansada do comportamento do filho, coloca um ponto final entre os dois, pedindo-lhe que não mais a procure. Pedido esse, que o filósofo cumpriu até o fim de seus dias.
Apesar de seu forte temperamento, inegável é a grandiosidade de seu pensamento, que pode ser conferida através dos vários livros e demais materiais escritos por ele.
Em Aforismos para a Sabedoria de Vida, citado na revista Discutindo Filosofia, Ano 1, nr. 3, pg. 66 - Ed. Escala Educacional, temos uma pequena amostra da acidez do filósofo:
"Distância e longa ausência prejudicam qualquer amizade, por mais triste que seja admiti-lo. As pessoas que não vemos, mesmo os amigos mais queridos, aos poucos se evaporam no decurso do tempo até o estado de noções abstratas, e o nosso interesse por elas torna-se cada vez mais racional, de tradição. Por outro lado, conservamos interesse vivo e profundo por aqueles que temos diante dos olhos, nem que sejam apenas os animais de estimação. Tão vinculada aos sentidos é a natureza humana. Por isso, aqui também são sábias as palavras de Goethe: 'O tempo presente é um deus poderoso'.
Os amigos da casa são chamados assim com precisão, pois são amigos mais da casa do que do dono. Portanto, assemelham-se antes aos gatos do que aos cães.
Os amigos se dizem sinceros: os inimigos o são. Dessa forma, deveríamos usar a censura destes para nosso autoconhecimento, como se fosse um remédio amargo.
Os amigos são raros na necessidade? Não, pelo contrário! Mal fazemos amizade com alguém, e logo ele estará em dificuldade, pedindo dinheiro emprestado."
Para saber mais sobre Arthur Schopenhauer consulte aqui.
Até a próxima!